VER PÁGINA 297

DE MAFALDA DEVILLE

(...)um bicho bem curioso, as mulheres, e às vezes penso que deviam vir com livro de instruções. , já agora, com outro, de reclamações. E com um certificado que garantisse o direito de devolução. E com um selo de qualidade e respectivo prazo de validade. Nada mais justo. Nada mais prático. Nada mais limpo. (...)

(...) Preocupa-me sinceramente que não estejam a ver bem onde pretendo chegar. (...)

Manuel Jorge Marmelo

"As mulheres deviam vir com livro de instruções"

A mulher é o ponto de partida, o espelho que reflecte ou deforma os ambientes, as relaçoes, situações e conflitos - um estado de alma da autora (sendo que nãoã deixa de ser curioso que "alma" é também uma palavra do género feminino...)

VER PÁGINA 297 é um guia para a viagem que nunca acaba e não se sabe quando começou.

A movimentação coreográfica é inspirada em pinturas e fotografias de mulheres em que a imagem deforme e oculta o estado de alma. 

Coreografia: Mafalda Deville

Intérpretes: Joana Nossa, Mário Gonçalves,  Mafalda Deville, Simon Moore e Olga Tzikouli

Desenho de Luz: Orlando Worm

Cenografia e Figurinos: Elisa Worm

Execução de Guarda Roupa: Carminda Bote

Música: Rossini, Luciano Berio, John Cage e Bussotti, na voz de Cathy Berberian; e Mauricio Kagel, Verdi e Monteverdi

Produção: BCN

Estreia: 26 de abril de 2001